domingo, 14 de setembro de 2014

PSICOSE, Robert Bloch

Eis um livro absolutamente FANTÁSTICO e surpreendente que, poxa, eu não queria largar!! De antemão, é preciso despir-se de qualquer preconceito com o gênero, o título ou a capa. Falo por mim.

Apesar do nome, psicose não é um livro altamente assustador.
Apesar da capa, não é tão sangrento.
Aos que acham que é uma história de terror absoluto, ledo engano

Trata-se de um suspense psicológico (existe essa categoria??) muito envolvente e intrigante (e surpreendente, para o caso de você não saber nadica da história – era meu caso).

A narrativa primorosa faz com que entremos na mente do afetado Norman Bates, um homem de 40 anos, super controlado pela mãe, e que gerencia um hotel de beira de estrada.


*
Chovia torrencialmente na noite em que Mary Crane se hospeda no Bates Motel (motel é como se chama esses hotéis nos Eua), apenas para repousar durante a viagem que fazia.

Alertados por dias sem receberem notícias, a irmã e o namorado de Mary empreendem busca nas localidades e possíveis locais onde ela poderia ter ido. Ocorre que, ao mesmo tempo, constata-se que essa jovem teria furtado 40 mil dólares da empresa em que trabalhava...




Assim segue a trama em que um capítulo puxa o outro, alterna pontos de vista (narradores) e costura pistas, indícios, até “ir caindo a ficha” dos fatos. Ressalto que os capítulos são bem curtinhos e contêm desfechos arrebatadores, instigando e impulsionando a leitura.

Cabe mencionar que Robert Block foi pioneiro nesse estilo literário, de modo que foi inspiração para tantas outras histórias (de suspense e horror) que se seguiram. Por sua vez, Robert Block inspirou-se no Ed Gein, um macabro homicida americano da primeira metade do século XX.
*
Em parceria com a Darkside Books e o blog Vice Conversa, realizamos na Athena Livraria, em Santa Maria, um CineBookClube pra falar do livro e assistir ao filme do Hitchcock numa noite animadíssima!! Cerca de 50 pessoas lotaram o café da livraria para assistir ao filme e debater o livro! Contamos com a participação da psicóloga Natália Dalla Corte, que aquiesceu de pronto nosso convite mesmo sem nos conhecermos e fez uma análise pontual e técnica da obra sem perder o encantado olhar de cinéfila. Também tivemos a presença da Maíra Bianchini, atualmente cursando doutorado em Comunicação e Cultura contemporâneas na Universidade Federal da Bahia. Ela falou da série Bates Motel, inclusive com registro de cenas e observações de cor, cenário e fotografia, além do próprio enredo – que trata da juventude do antagonista da obra, Norman Bates. A Bruna fez um post sobre o evento aqui.


Para mim foi uma experiência incrível, porque assisti pela primeira vez Psicose, e com toda essa bagagem de informações que as gurias transmitiram. Alfred Hichtcock foi muito feliz nessa adaptação que lhe custou ousadia e muito investimento. Ninguém apostava na ideia dele.. e no entanto PSICOSE virou um clássico absoluto! ;)

SOBRE O LIVRO.. é evidente que recomendo com todas as forças!!! LEIA. Depois volte aqui pra comentar!!

Um beijo bom,
Camilla.

2 comentários:

Bruna Cipriani Luzzi disse...

Nós e nossos eventos literários! Livro ótimo! ;)

Camilla Caetano disse...

Vida longa a nossa parceria!!! ;)
bjoss

Ocorreu um erro neste gadget