quarta-feira, 12 de março de 2014

EU RECEBERIA AS PIORES NOTÍCIAS DOS SEUS LINDOS LÁBIOS, Marçal Aquino

Uma camada fina de mistério envolta por uma camada grossa de curiosidade: era o que sentia antes de ler esse livro que me chamou a atenção unicamente pelo título! Como me abstive de ler sinopse e resenhas previamente, a meu ver Eu receberia as piores notícias dos seus lindos lábios poderia tratar sobre absolutamente qualquer coisa. E justamente por isso a leitura foi surpreendente!!
Em qualquer situação, quando a expectativa é zero o saldo do porvir é mais positivo.
*
Vacilava por pensamentos tentando imaginar o que aconteceria a seguir... Era como uma receita culinária num programa de televisão que ia sendo executada sem a apresentação inicial dos ingredientes. A cada capítulo poderia ser sal ou açúcar, açafrão ou amoníaco.

Um fotógrafo; um comerciante; um jornalista; um pastor; e uma mulher sedutora. Vidas errantes que se cruzam numa cidadezinha pacata e empoeirada descritas num texto cuja dinâmica espaço-temporal é impressionante!

Tenho duas opções: dar spoiler ou segredar em respeito ao leitor amigo. Resolvi, pois, falar pouco da história. Resolvi deixar suspenso qualquer comentário que entregasse o ouro, me limitando a dizer que o pano de fundo é a exploração do minério no estado do Pará. É a busca de pepitas douradas e dignidade subterrâneas, talvez ocultas em registros fotográficos e corações maltratados. 

"Queremos o que não podemos ter, diz o professor Schianberg, o mais obscuro dos filósofos do amor. É normal, é saudável. O que diferencia uma pessoa da outra, ele acrescenta, é o quanto cada um quer o que não pode ter. Nossa ração de poeira das estrelas." p. 16

Essa coisa de ´ler de olhos vendados`, ou seja, sem noção sequer do tema do livro, aguça todos os sentidos para garimpar causas e efeitos, causos e circunstâncias, mocinho e bandido. A narrativa (ímpar) do jornalista, escritor e roteirista de cinema Marçal Aquino é tão especial que logo lerei outra obra dele. (Ele é bri-lhan-te e eu sabia disso desde a leitura de A turma da Rua Quinze, da série Vaga-lume, quando minha diversão era frequentar a biblioteca da escola).
Assim, a trama é paulatinamente desvendada nas 229 páginas, deixando o leitor apreensivo o suficiente para concordar quando o autor diz que O amor é sexualmente transmissível.
Desculpaê se gerei expectativa e não abri mais o bico. Mas considerando que fui motivada a ler apenas pelo título sedutor posso dizer que o elemento surpresa é a pimenta do livro! 

Obs: foi transformado em filme estrelado por Camila Pitanga.

Um beijo bom,
Camilla.

3 comentários:

Isa Vichi disse...

Perfeita resenha, Camila! Gostei demais! Se eu já não tivesse lido, certeza sairia correndo de casa pra comprar o livro agora!! rsrs Tbm fui surpreendida a cada página e me deleitei com o professor Schianberg. Cada vez que leio Marçal Aquino me apaixono mais! Ressalto que, de tudo que li, "Eu Receberia" é o mais "comercial" e mais bacana. As outras obras mais recentes são coisas mais densas e pesadas, mas tudo com aquele toque de poesia e lirismo, bem característico de todas as obras de Marçal Aquino! Um beijinho pra vc, coisa mais linda! Isa - LidoLendo.

Camilla Caetano disse...

Guriaaa! Obri pelo coment!! :)
Já que foi por ti que conheci a obra, fica um obrigada! hehehe

*Adorei o teu vídeo dos bastidores, confesso que era curiosa por conhecer o entorno da tua cadeira. Bjo grande!
cami

Janaina disse...

Eu também fui levada a ler este livro simplesmente pelo título. Uma amiga estava hospedada em minha casa e lendo este livro. Pedi a ela para me emprestar quando terminasse. No dia de ir embora, ela me deixou o livro de presente e disse que não deixasse de ler, porque era ótimo! Li em dois dias e me apaixonei. Minha sobrinha, que morava comigo na época, leu e gostou. Outra amiga leu e amou. Na semana seguinte, minha prima foi se hospedar em minha casa, terminou o jantar e começou a ler. Só foi dormir alta madrugada, depois de terminar a leitura. Ou seja, em três semanas passou por cinco leitoras. A sexta o levou emprestado, mudou de cidade e nunca mais devolveu meu presente.
Como se vê, minha casa parece um albergue e todos amaram o livro. :)))

Obs.: o livro, como sempre, é melhor que o filme. Apesar da excelente atuação de Camila Pitanga.

Bjs,
Janaina
www.mudagerminadadejardinsalheios.blogspot.com

Ocorreu um erro neste gadget