quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

DUNCAN GARIBALDI E A ORDEM DOS BANDEIRANTES, André Zanki Cordenonsi

Com pompa e circunstância apresento um escritor de Santa Maria-RS!

André Zanki Cordenonsi é um jovem pai de família, com formação em ciência da computação e professor da UFSM. Conheci essa figura num sarau sobre literatura fantástica em 2013 na livraria Athena, e o descontraído debate revelou em mim o interesse por fantasia e ficção científica!
 
Eu me surpreendi positivamente e tive oportunidade de dizer isso durante um Sarau literário com a participação do próprio autor. o//
O fato de a história ser ambientada em Santa Maria dá uma proximidade especial do leitor com o livro, e eu senti orgulho do Duncan Garibaldi e a Ordem dos Bandeirantes ser obra de um conterrâneo!
Observamos detalhes da Vila Belga, Avenida Rio Branco e trevo do Castelinho numa época em que nossa cidade era pólo ferroviário devido o entroncamento das principais ferrovias do Estado. É possível que quase todo santamariense tenha um parente que trabalhou na Rede Ferroviaria Federal Sociedade Anonima (RFFSA)).
*
A história do livro começa quando dois amigos de escola encontram um cadáver de uma moça na Vila Belga. Sem compreenderem o fato sinistro, surge um grande homem chamado Nicolau que se apresenta como sendo um Caçador da Ordem dos Bandeirantes e explica o que está acontecendo. [A Ordem dos Bandeirantes foi uma espécie de guarda de elite criada pelos jesuítas que caçava e capturava entidades amaldiçoadas quando Portugal explorava e devassava o território brasileiro em meados de 1570].
Num belo dia Duncan aparece com uma sombra desencarnada, a ´´fantasma`` Elisabete, que  juntamente com Nicolau orienta os meninos na missão de encontrar a Clave Cristalina, um objeto que daria grandes poderes pra quem o detivesse. Meio que por obra do destino, Duncan foi o escolhido pra essa tarefa e, na companhia do amigo escudeiro Joaquim - tipo Dom Quixote e Sancho Pança -, embarca nessa aventura de suspense, história, cultura e humor! (O Joaquim tem tiradas ótimas que renderam gargalhadas!)

André Cordenonsi mistura elementos de fantasia com realidade, com o cuidado de situar tudo historicamente, fruto de preciosa pesquisa histórico-cultural envolvendo Portugal, Espanha, Brasil, e em especial a nossa querida Santa Maria. :)

Cordenonsi tem o dom da descrição: as coisas e lugares são super detalhados (sem ser chato). Achei a narrativa cadenciada e gostosa de ler. Tem certos ares de Harry Potter misturado com thriller policial de suspense investigativo e salpicado de humor quixotesco!

Pode até ser que eu não acredite em fantasma, mas isso não torna a personagem Elisabete menos crível. Sinto que as emoções foram tão bem exploradas, especialmente a questão da amizade, que é indiferente saber se existe ou existiu ghoul na região central do Estado.
Duncan Garibaldi e a Ordem dos Bandeirantes é 235 páginas de entretenimento cultural para jovens (crianças e adolescentes) e adultos!! Recomendadíssimo!
 
Encerro com uma fala do André numa entrevista
"A literatura pode, sim, ser apenas para divertimento. Eu leio e escrevo literatura de entretenimento pois acredito que de aborrecimento já basta a vida. Acho que existem muitos valores importantes que são explorados neste tipo de literatura, além de ensinar aos leitores o poder da imaginação."

Um beijo bom,
Camilla.
 

2 comentários:

Bruna disse...

Oii guria, concordo com o André: livros são entretenimento! :D
Esse tipo de história não faz o meu tipo, mas fiquei bem curiosa e vou colocar na minha lista de leitura de 2014. Temos que valorizar o que temos por casa, né? ;)

bjoos

Camilla Caetano disse...

Hey! Isso aí! Santa Maria produzindo coisa boaa!
Ainda quero ler o livro do Diego Hahn (Flash back de um mentiroso) e o da Nikelen (Territórios invisíveis)! :)
BJuu

Ocorreu um erro neste gadget