terça-feira, 3 de dezembro de 2013

O CHAMADO DO CUCO, Robert Galbraith


Atenção, fã de romance policial e apaixonado por estórias de investigação! Ouse ler O chamado do Cuco e sentirá pulsar a veia Sherlock Homes que existe em você! 

A cada capítulo desse livro são gradativamente apresentadas peças de um quebra-cabeça para o leitor que, enfrentando o inverno londrino num elegante trench coat, identificará indícios, colherá pistas e dados aparentemente inúteis para depois, quem sabe, apontar conclusões a partir do emaranhados de provas na cabeça!

Uma über model à la Naomi Campbel cai da sacada da sua cobertura chique em Londres e morre espatifada na calçada em frente ao prédio, que em poucos minutos teve os entornos tomados por paparazzi. Como a jovem era meio afetada, a polícia entendeu que a trágica morte de Lula Landry aconteceu por suicídio, mas seu irmão, não convencido da tese, procura um detetive particular para ´reabrir` o caso e investigar suposto assassinato.

O detetive particular é Cormoron Strike, um veterano de guerra bruto e durão que conta com auxílio da secretária Robin, uma moça solícita e com surpreendente feeling investigativo. Eu gostei bastante da construção das personagens, cuja carga emocional é coerente com seus passados e vicissitudes. (Ao ler ficção a suspensão da descrença (Umberto Eco) não afasta certa ´responsa` de o autor nos convencer, né?). Numa entrevista, questionado sobre as pesquisas feitas antes de escrever a obra, o escritor revelou que deu a Strike muitas virtudes dos militares de quem é próximo: força de caráter, humor negro, resistência e engenhosidade. O que reputo essencial pra reforçar o enredo!

O desenvolvimento da trama acontece num ritmo agradável levando em conta a inafastável tensão que mina os livros policiais. Nosso fôlego é paulatinamente alterado a cada documento, análise de fechaduras e senhas, acústica dos espaços, entrevista com amigos e seguranças, telefonemas, etc. Sem contar na impecável descrição dos espaços... Quem já esteve em Londres diz que a ambientação é perfeita! 

Bom, o que não gostei muito no livro foi do contexto, ou melhor, mundinho fashion. Tudo se passa em meio ao glam de estilistas e fotógrafos, lobby das grifes e tabloides sensacionalistas alimentados, por sua vez, pela matilha de paparazzi devoradores de moral. Se o autor queria linkar com rehab, Amy Winehouse, Naomi Campbell, Princesa Diana, o objetivo foi atingido.
*
No primeiro dia de novembro de 2013 aconteceu o lançamento no Brasil, pela Editora Rocco, e dois dias depois eu já iniciava a tão comentada leitura. Pra quem não sabe, o Robert Galbraith é um pseudônimo da escritora J. K. Rowling, a famosa e reconhecida criadora da saga Harry Potter, fato que foi revelado meses depois do lançamento na Europa. Recordo de ter lido apenas o Harry Potter e a pedra filosofal, mas aguardava ansiosa a première de cada filme. De todo modo, a narrativa da Rowling conquista legião de fãs, independente do gênero.

Se não me engano há rumores de que a senda investigativa de Strike já tem sequência engatilhada, mas não sei pra quando. Será que as 448 páginas de O chamado do Cuco são lampejos de uma nova Agatha Christie?

Um beijo bom,
Camilla.

Um comentário:

Lu Tazinazzo disse...

Sobre o mundinho fashion, eu achei que deu um gás interessante à história. Eu interpretei que a investigação era complicada exatamente pela quantidade de gente fútil, mentirosa e falsa que estava ao redor de Lula, e apenas o talento de Strike foi capaz de ler nessas entrelinhas. Também gostei muito do livro!

Ocorreu um erro neste gadget