quinta-feira, 31 de outubro de 2013

O ENTERRO PREMATURO E OUTROS CONTOS DO MESTRE DO TERROR, Edgar Allan Poe

Tradicional e culturalmente, os países de origem inglesa celebram em 31 de outubro o ´´dia dos mortos``, que precede o dia de Todos os Santos. Tá certo que aqui no Brasil esse negócio de Halloween não é difundido pela real origem histórica, e, sim, pelo inevitável copy/paste americanizado (minha opinião), mas aproveitando o ensejo vou ´´celebrar`` o dia das Bruxas com a resenha de um livro do gênero terror que eu li esse dias. 
 
Antes de qualquer coisa cabe uma confissão: Eu, Camilla, não assisto a filmes de terror porque não vejo razão em provocar medo ou pânico em mim mesma pra depois tomar sustos gratuitos quando o vento-norte santamariense bate uma porta ou sussura numa frestinha da janela. Em geral, lido bem com minha imaginação, mas ver Atividade paranormal ou O exorcista sob o argumento de sentir frio na barriga e arrepios não me comove. Pra isso prefiro montanha-russa ou massagem nos pés, por exemplo. Porém, o peixe morre pela boca de muito ler comentários sobre a obra do Edgar Allan Poe, numa bela tarde comprei O enterro prematuro e outros contos do mestre do terror. Eis, pois, meu primeiro contato com literatura de terror de verdade e totalmente influenciado pela Tatiana Feltrin, do blog Tinny Little Things, que morre de amores por Edgar Allan Poe (nascido em 1809 em Boston) e tem autoridade pra tratar do assunto. Aqui no blog já fiz resenhas de livros que dão medinho ou ´tidos por terror`, como o FrankensteinCoraline e até mesmo O oceano no fim do caminho, mas Poe é incomparável! Ups! E não posso esquecer de O iluminado (esse, sim, dá medão) que a Débora resenhou pra gente, mas eu ainda não li.
*
Vamos lá!
Dizem que Allan Poe sofria de catalepsia - doença em que os sinais vitais desaparecem e a pessoa aparenta estar morta -, e nutrido pelo medo de ser enterrado vivo ele criou personagens em situações claustrofóbicas, com pouco ar, falta de força pra empurrar a terra ou cimento ou madeira que lhe cobre, etc... Também concebeu personagens absolutamente lúcidas em sua loucura, com ojeriza injustificada e instinto assassino antes desconhecidos.  
 
A maioria dos contos é escrita em primeira pessoa: recurso perfeito para o leitor entrar nos pensamentos e emoções de mentes perturbadas, sentir o pânico de um prisioneiro da inquisição, lutar contra a morte quando ela é iminente, acompanhar detalhes da execução e, até, da ocultação de cadáveres... E por aí segue mesclando respiração tensa e silêncio eloquente pra desaguar em surpreendentes desfechos! 
Nesse livro estão reunidos cinco contos: O coração delator; O gato preto; Berenice; O enterro prematuro; O poço e o pêndulo.
Só lendo pra sentir a força da prosa poética desse escritor que, a par do conteúdo sinistro, é envolvente e capaz de nos travar a respiração enquanto conta episódios de culpa, dor e desespero. 

´´Ler Edgar Allan Poe exige coragem. Exige, também, uma forte atração por universos densos, repletos de seres cujas existências situam-se na zona fronteiriça entre vida e morte. Não é à toa que o autor norte americano acabou inscrevendo seu nome como o maior escritor de terror. Um terror, todavia, muito  mais psicológico. Um terror que investiga o interior do ser humano e sua capacidade de praticar atos que poderiam ser considerados tortos, terríveis, grotescos, mas que para aqueles que os executam tornam-se necessários, vitais. Um terror que, ao mesmo tempo em que inquieta e assusta, seduz e convida à leitura. Há que se estar preparado.`` (prólogo).
 
Ler Poe é inquietante, mas muito legal! Sério!! heheh
Experimente começar pelos clássicos O poço e o pêndulo (sobre inquisição na Idade Média) e O gato preto e depois comente aqui ou na fanpage do facebook!
 
Trick-or-treat?
Camilla.

2 comentários:

Cleuber Roggia disse...

Camilla, querida... eu não sou muito ligado em coisas de terror, e confesso que muito menos em filmes. Também acho que há muitas outras coisas que dão aquele gostoso frio na barriga. A respeito de Poe, comprei um livrinho bem fininho, no Sebo, que tem seis contos, dentre eles, O Corvo, O Gato Preto e o Retrato Oval. Vi que gosta de Poe, eu, sinceramente, ainda estou lendo e bem devagar, quem sabe eu gostem né? Um beijo, Cami! ;)

camilla disse...

Vou ler outras coisas dele. É uma linguagem peculiar.
Boas leituras!
Volte sempre!

Ocorreu um erro neste gadget