sexta-feira, 6 de setembro de 2013

TARÁS BULBA, Nikolai Gógol


ilustração da capa é do Delacroix, gente!!
Dentre inúmeros critérios para eu escolher a próxima leitura um deles é o autor, mais especificamente a nacionalidade do autor. A depender do país de origem ou do país em que viveram, escritores carregam consigo estilo e linguagem peculiares ao lado de arraigada carga cultural da qual, muitas vezes e naturalmente, não se desvencilham ao contar suas estórias.
A literatura russa me espreitava há algum tempo porque, sei lá, me parecia desafiador ler algo tido por rebuscado e difícil, seja pela cultura daquele povo (totalmente por mim desconhecida), ou pela complexidade que é a tradução para o português. Resolvi começar com Gógol.
 
Nikolai Gógol, na verdade, era ucraniano e pertenceu à ´´Era Dourada`` da literatura russa, onde ocorre a introdução do romantismo e a ascensão de temas que vão do realismo ao fabuloso e ao drama. Os principais escritores desta época são Ivan Turgueniev, Fiodor Dostoievski, Leon Tolstoi e Nikolai Gogol. (fonte: infoescola.com).

Cossacos são um povo nativo e ''faca na bota'' das bandas da Rússia. Conhecidos pela coragem, bravura e força militar além da conta, integraram o exército russo em várias guerras. Seu sistema bruto também é ´qualificado` por anarquia, bebedeira e violência. (...) Uma multidão de guerrilheiros experientes e instruídos, que tinham a nobre convicção de que tanto faz lutar aqui ou acolá, pois, para um homem nobre, indecência era viver sem batalhas. p.38.
 
Tarás Bulba é um velho cossaco que leva os filhos Ostap e Andríi pra lições de macheza junto das tropas zaporogas lutando contra judeus polacos.
Gógol descreve em minúcias as cenas de batalha, as estratégias de tomada de território e a matança, tudo com muita crueldade, sordidez, sangue e, é claro, patriotismo. O conflito está em um dos irmãos se desgarrar da trupe por causa de uma mulher e virar a casaca (volta e meia mulher é estopim de guerra!). Pois é, mas a partir daí vou respeitar o leitor e não contar mais nada, porque o mais legal foi ser surpreendida a cada combate. X) (resenha fail)
´Ele esporou o cavalo e avançou direto para a retaguarda do polonês, gritando com tanta força que todos os que estavam próximos estremeceram por causa daquele grito desumano. O polaco quis virar logo o seu cavalo a fim de ficar de frente para ele, mas o animal não obedeceu: assustado com aquele grito horrível, ele saltou para um lado, e Kukubienko atingiu o cavaleiro com um tiro de espingarda.... O polaco não se entregou; tentou ainda desfechar um golpe no inimigo, mas seu braço fraquejou e caiu junto com o sabre. Kukubienko apanhou com ambas as mãos a sua espada pesada e enterrou-a bem na boca pálida do polonês. A espada arrancou dois dentes alvos, cortou a língua ao meio, partiu a vértebra do pescoço e penetrou bem fundo na terra. E assim ele a deixou, cravada ali na terra úmida para sempre. O sangue nobre e vermelho como os frutos de um viburno esguichou em forma de uma fonte, tingindo todo o cafetã amarelo e ornado em ouro do polonês. Kukubienko o abandonou e abriu caminho com seus cossacos em outra turba.´ p. 101
Adoro filmes e livros de guerra porque vão muito além de espadas, cavalaria, tiroteio e sangue. As entranhas emocionais do homem ficam expostas e dali extraímos lições de superação, resistência e generosidade. Além de que, no caso do Tarás Bulba, tem todo o contexto da luta pela emancipação da Ucrânia (na época, sob o poder da Polônia) e disputa catolicismo x cristianismo ortodoxo. Vale ler o posfácio do tradutor Nivaldo dos Santos antes de iniciar a leitura pra entender melhor a parte histórica!
 
A narrativa é super realista e o discurso envolvente, tornando a leitura muito rápida. E essa novela épica é curtinha, tem só 170 páginas. Minha edição é da Coleção Leste da editora 34, que prestigia os escritores eslavos com 32 títulos (sendo 29 russos). Confira todo o catálogo aqui. Provavelmente vou ler outros dessa lista. :)

Acho que iniciei bem nos russos, mas tenho um longo caminho a percorrer. Dostoievsky e Tolstói, por exemplo. 

Um beijo bom, 
Camilla.

3 comentários:

Cleuber Roggia disse...

Поверьте мне, в некотором смысле, эклектичная книга в мире, а также в музыке. Entrentanto мой предел это книга, которая хороша. Книга, которую я хотел. Calro, некоторые авторы или темы, а не действительно захватить мое внимание. Таким образом, русская литература приходит через Компания Бумага и Тарас Бульба является тот, который привлекает внимание. Одним из них является русский, а другой, потому что я не знаю, почему, как вы не знаете, русской литературе. Хорошо то, Tantar прочитать и понять культуру этой страны, этого народа. Поцелуй, на русском языке, Cami! (Pra não fugir da cultura do livro, respondi em russo)

Carla C. disse...

Camila,
Não se assuste com os russos. De verdade! É uma das maiores literaturas do mundo - se não for a maior. E essa coleção da Editora 34 é excelente.
Beijo!

Carla.
www.livrosmaislivros.com.br

Camilla Caetano disse...

Carla!!
Seguirei firme enfrentando os russos! Também vou incluir Nabokov, dp da grata surpresa com o livro da Lila Azam!
Já comprei outros da editora 34. Excelente mesmo!
:)
Bjo!!
Cami

Ocorreu um erro neste gadget