quinta-feira, 26 de abril de 2012

COMO PROUST PODE MUDAR SUA VIDA, Alain de Botton

Outro título que ganhou minha atenção em Janeiro, foi Como Proust pode mudar sua vida.
Alain de Botton é o cara!
 
Descobri ele em 2009, num cantinho duma página da revista Casa Cláudia, onde indicavam o livro A arquitetura da felicidade (leitura de 2009). Espetacular! Fiquei encantada com o escritor de O Movimento Romântico, A arte de viajar (presenteei ex-namorado) e Prazeres e desprazeres do trabalho (presenteei minha amiga Josianne Zanoto).
 
Alain é o filósofo suíço mais influente dos últimos tempos. Tem um estilo de escrever fantástico (by Hugo Carson), e eu fico passada com as conclusões lógicas que ele faz sobre qualquer assunto. Ouso dizer ´´eu já pensei nisso antes, só não conseguiria escrever``, mas lá no fundo fico com a sensação do quanto eu preciso estudar e viver (não só existir) para minhas sinapses colaborarem.
 
Cheguei ao Como Proust pode mudar sua vida ocasionalmente, apesar de já conhecer o autor, porque fui em busca do A arquitetura... para presentear minha amiga Natália Maicá que se formava em arquitetura no início do ano, porém o carinha da Livraria Cultura disse que estava esgotado inclusive na editora. :/
Aí comprei o do Proust, um para ela e outro para mim.
 
Marcel Proust despontou e foi reconhecido só depois da morte (normal!) e seu título Em busca do tempo perdido está na minha listinha, mas seria como prometer ler Pontes de Miranda e se formar em Direito sem terminar o primeiro capítulo do Tomo I: é difícil, chato e extenso.
Para meu alento, Alain explora, em nove lições, a sabedoria existente nas páginas de Em busca do tempo perdido. Com humor e erudição, ele revela como o escritor Marcel Proust pode ser um bom conselheiro sobre a vida, as relações sociais, o amor e o sofrimento, e assim celebra a força atemporal de um grande romance (copy-paste da contracapa).
 
O texto é engraçado, estimulante e inteligente. Daqueles que tu destaca várias frases de efeito (!), e tem vontade de contar bem feliz para todo mundo que encontrou a solução para os problemas.
Os 9 capítulos tem os seguintes títulos: Como amar a vida hoje; Como ler para si mesmo; Como não se apressar; Como sofrer com sucesso; Como expressar suas emoções; Como ser um bom amigo; Como abrir os olhos; Como ser feliz no amor; Como abandonar os livros.
 
Não. NÃO é da categoria auto ajuda! Hehe O título e os nomes dos capítulos levam a crer que é da (mais vendida) categoria de auto ajuda, do tipo ´Como ser feliz no matrimônio sem lavar a louça do almoço`, ou ´Como subir na carreira sendo simpático com a tia do café`, mas católica e schoenstatteana que sou não acredito nos livros de auto ajuda, em regra, porque até segunda ordem tenho vivido super bem com a minha fé.
Voltando aos capítulos, cada um explora a ideia com base em trechos do livrinho do Proust. Só que a interpretação é bem divertida e recheada de exemplos, tanto que eu li rapidinho em 2 dias.

Eu acho que essas 251 páginas vão te fazer mais feliz do que Queijo, Segredo ou Lauro Trevisan. Vai por mim, vale a pena.

Um beijo bom,
Camilla.

2 comentários:

Nat King Cole disse...

Marcel Proust, tá aí algo que sempre vi nas prateleiras como algo inacessível.....sim, já vi você na MISSA DA ALIANÇA! Valeu pela dica!

Carla C. disse...

Eu estou quase terminando o meu. E sim, tem vários trechos destacados... Muito, muito bacana mesmo.
Um amigo meu já havia me falado do Alain de Botton. Mas este livro descobri na casa de um outro amigo, fuçando em sua estante... hehehe.

Ocorreu um erro neste gadget